Críticas

Crítica – Match Point

CRÍTICA:

Foi em 2005, com Woody Allen a completar 70 anos, que o icónico realizador norte-americano reinventou a sua carreira. Inserido em Hollywood, um mercado cruel e competitivo que anda sempre à procura das mais recentes novidades descartáveis, Woody Allen nunca baixou os braços, e foi mesmo depois de se tornar septuagenário que Allen conseguiu realizar um dos melhores filmes da sua vida. O próprio Woody Allen recentemente referiu que o seu filme favorito (de entre os que realizou) é precisamente “Match Point”.

Esta foi a primeira vez que Woody Allen filmou fora da sua amada Nova Iorque, trocando-a pela cinzenta Londres, onde decidiu criar um drama de paixões, traições e suspense, quase diametralmente oposto às suas famosas comédias ligeiras. A introdução de “Match Point” é composta por uma fantástica e enigmática sequência que nos explica de uma forma muito simples e sucinta a importância que a sorte têm na vida de cada um de nós.

Match Point

A história de “Match Point” é centrada na vida de um antigo tenista profissional, Chris Wilton (Jonathan Rhys Meyers), que consegue um trabalho medíocre como treinador de tênis num exclusivíssimo clube londrino. Chris Wilton acaba por travar uma grande amizade com Tom Hewett (Matthew Goode) e Chloe Hewett (Emily Mortimer), dois irmãos e membros de uma família aristocrata que Chris habilmente utiliza para facilmente e finalmente subir na vida. Chris acaba por se casar com Chloe, um matrimónio que lhe permite obter aquilo que nunca teve, no entanto, este seu sonho fica subitamente ameaçado quando se apaixona pela sedutora Nola (Scarlett Johansson), uma mulher que namora com Tom e que vai arrastar Chris e Chloe para um confuso quadrado amoroso que vai estar constantemente no centro de uma das mais envolventes e inteligentes histórias do ano.

As interpretações desta obra estão muito bem conseguidas. Scarlett Johansson combina o seu charme natural com uma interpretação muito boa, e Jonathan Rhys Meyers está absolutamente fenomenal como o vilanesco Chris Wilton.

Woody Allen conseguiu criar algo novo e completamente diferente para adicionar à sua vasta filmografia, um drama de suspense praticamente sem nenhum humor. “Match Point” é, sem dúvida alguma, mais uma grande obra deste realizador norte-americano que raramente nos desilude.

[checklist]

  • A brilhante banda sonora. A realização de Woody Allen.

[/checklist]

[badlist]

  • Nada.

[/badlist]

TRAILER:

POSTER:

Match Point

Também Poderás Gostar



Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top